Arquivo da tag: Pessoas de temperamento difícil no trabalho

400x390 mau humor

Pessoas de temperamento difícil no trabalho

texto mauroPor: Mauro Galasso

Não há como se esconder. Pessoas mau humoradas e pessoas que carregam sentimentos de frustração, estão por todos os lados. Isso é sério e se não for contornado pelo grupo ao redor, tem o poder de impactar (e muito) grupos sociais com ondas de desavença e pessimismo.

Dizemos isso, pois essa pessoa taxada de “O CHATO”, pode trazer motivadores para essas suas atitudes tão fora do eixo que se espera para trabalho em grupo.

Há aqueles intolerantes com tudo, sempre buscando atender sua necessidade própria de falar mais alto, de sentir-se capaz de fazer valer suas opiniões (transpiram petulância e arrogância). Os reclamadores profissionais, que diante de sua incapacidade de trazer produtividade ao grupo, tenta fazer com que o grupo trabalhe menos (reclama muito e não mostra soluções). Aparece como um dos mais complicados, o chamado de duas caras, pois não toma um partido específico e flutua no ambiente com seus atos de manipulação premeditada, afim de gerar desconfiança sobre pessoas que podem atrapalhar seus desejos (traços de sociopatia). Temos o sabetudo.com, que com sua suposta inteligência, tenta se sobressair atravessando as falas dos outros e mostrando-se melhor que todos naquele recinto (pura insegurança). Teremos também o sem reação, que justamente por se anularem frente ao primeiro sinal de conflito, abrem caminho para todos os outros quatro perfis acima citados.

Gosto de ter a certeza que o mercado de trabalho não é (e nunca será) lugar para eternos amadores sociais. Acredito na evolução de nossa personalidade (alguns diriam maturidade), que alcançamos quando aprendemos a trabalhar em grupos. Portanto, saber relacionar-se com o grupo que forma uma empresa, ainda é o maior dos requisitos para ser contratado (e continuar contratado). Quaisquer nuances dessa falta de habilidade, deve ser encarado pelos gestores como algo delicado de ser tratado (ninguém é chato simplesmente por que quer), mas também haverá de tomar atitudes de um líder preocupado com o grupo.

feedback-796135_640Hora do feedback

Antes de tudo, temos de propor uma linha de pensamento que não nos leve a situações conflituosas, pois, no geral, são pessoas que mostram-se em algum estágio de instabilidade de sentimentos. Sermos mais objetivos no trato também ajuda a descontruir essa proposta de desunião que é emanada por eles.

Atente-se aos fatos que essas pessoas geram e nunca a possíveis valores pessoais seus. Isto é, reforce as trapalhadas profissionais e seus resultados, bem como os pontos de produtividade a serem melhorados. Sem sair declarando adjetivos como desorganizado, falastrão, incompetente, entre outras falas pejorativas. Acho importante levantar alguns pontos de elogio, pois afinal, se você ainda acha prudente conversar com essa pessoa, é por que ela ainda é parte importante para o grupo.

O objetivo do feedback é gerar aprendizado. Portanto, se notar que o tom começa a ficar elevado e irritadiço, talvez seja melhor pedir uma pausa na conversa, sendo retomada posteriormente com a cabeça mais fresca. Se mesmo assim, aquele que recebe essa devolutiva comportamental não chegar ao momento de reflexão sobre seus atos, será necessário rever a abordagem. Talvez, por existirem outros motivadores externos ao recinto de trabalho – como problemas na família, situação amorosa não resolvida, insatisfação com o atual projeto de vida. A partir daí o envolvimento de familiares e a busca por ajuda profissional específica – psicólogos, profissional de coaching, orientadores de carreira – serão bem vindos.

#FortalecendoNossasEquipes #EquipeForteEnfrentaCrise          

Mauro Galasso – Consultor e docente nas áreas de administração, logística, marketing e vendas. Realiza treinamentos e palestras dentro destes assuntos, onde busca o desenvolvimento humano e práticas socioambientais. Suas habilidades transitam ao redor da comunicação, onde promove ideias com sua voz ou constrói conteúdos escritos, por isso gosta de ser encarado como “contador de histórias para negócios” – Acesse: Supply Educação Corporativa ou cel: 11 98218 2998